A Queda do Homem




A QUEDA, FOI A SEPARAÇÃO “DO AMOR” QUE DEUS É.


O Ser humano esqueceu-se do que era O Amor! E o primeiro Ser a quem ele deixou de amar, foi a si mesmo. Por quê? Porque, o amor-próprio é alimentado pela consciência do Amor do EU SOU; da Fonte, da Origem, de Deus.


Não sendo amado, o ser humano não se ama.

E este “não amor”, causa-lhe um vazio existencial tão profundo, que ele se perde de si, e passa então, toda uma vida, em busca deste tal amor.

Claro que, estando desligado da Fonte do Amor, do Deus, que é amor... A busca do homem se torna frustrante. Porque, ele ilusiona e fantasia, que o amor que ele tanto busca, está no outro SER Humano.

Mas, para sua profunda frustração, ele constata que não. O outro não tem o amor que ele tanto almeja, para lhe dar. Ele constata, tristemente que, no máximo, o outro expetou que ele era a Sua Salvação, também! A seu próprio exemplo.


Buscando amor no Outro.


Quando chega neste estágio, onde 2 pessoas que não se amam a si mesmas, portanto, não têm reservatório próprio de amor, vão buscar subsídios para amar a si mesmo e ao outro, no outro… a relação descamba!

Começam as culpas projetadas, a insegurança, o medo, o sentimento de traição: você não é quem eu acreditei que era! A raiva, o sentimento de que foi enganado, o ressentimento… de sentimentos assim, surgem: as violências domésticas, as separações, os divórcios, os filhos lançados para lá e para cá, e em última instância… as tragédias.


O cerne de tudo isto? – A FALTA DE AMOR!


Não a falta de amor do outro… mas sim, a falta de amor a si mesmo.

O amor não é um sentimento simplesmente! O amor é um comportamento. O amor é um estado de SER. O amor é Um Lugar, onde cada SER Humano pertence… mas que, porém, se desconectou dELE.

O amor é DEUS! O amor é A Fonte de tudo! É a Origem! O Amor é O PAI da Humanidade!


Qualquer Ser Humano, na terra, precisa de um salvador!

A salvação então, o que é? É A RECONEXÃO COM O PAI, COM A FONTE DE ONDE ELE VEIO.


É esta perspetiva maravilhosa que Jesus, enquanto “vestia” O Cristo e andava aqui na terra, veio trazer para a humanidade, há mais de 2000 anos atrás.

A Consciência Crística! A Consciência de que: “Eu no Pai. O Pai em Mim, Eu e O Pai, SOMOS Um”.


Este é o entendimento, esta é a compreensão final, que estava No Início, e que “se perdeu”, na queda, e para a qual todos nós temos de voltar a ter.

Eu e O Pai, somos UM. Eu Sou o Eu Sou que Eu Sou, nELE.


Precisamos despertar!


Quando conseguimos nos despertar do sono, em que dorme a nossa alma, de que: por nós mesmos nós não conseguimos produzir: o amor, ou seja o que for que vem a partir do amor… Aí então, nós teremos feito a jornada “de volta ao Pai”. Pois só nEle, podemos acessar o amor.

Jesus, após “vestir” a consciência de Ser Cristo, ou seja: de SER Filho de Deus, passou a chamar Deus de Pai. (Pai é o genitor, a Fonte, a Origem… de algo ou alguém). E ele tinha “ciência” da Unicidade que esta condição lhe propiciava a ele.


Ser Filho do Amor do Deus de Amor.


Mas, Ele não parou aí! Ele disse: "-Se você crer, como eu creio, que você também é Filho de Deus, então, você também se torna um Filho de Deus… um Filho do Amor!"

Só quando aceitamos, confiamos e permitimo-nos nos tornar Filhos do Amor, é que podemos realizar as Obras do Amor.

Esta é a causa de tanta falha nesta questão, na humanidade! Ela quer produzir as Obras do Amor, desligada, desconectada da Fonte, do Amor que Deus é!


Somente quando esta verdade entrar no nosso espírito, seremos livrados da Ilusão da Separação… Poderemos aquietar a voz do ego, que luta tenazmente para sobreviver à “queda”. E receber, de novo, ou perceber de novo, O Amor, permeando o nosso SER.

Daí, nossas relações começarão a ser pautadas no Amor que nós Somos… e então, não esperarão nada em troca.

Neste momento, nada do que o outro faça a nós, terá importância a ponto de causar qualquer dor, pois a compaixão incondicional que vem com o amor, pela dor do outro, transmutará seu comportamento em amor.


O Amor, ama! O Amor, dá!

Não poderia ser diferente, Ele não tem nada diferente de amor, para oferecer!

Os discípulos perguntaram a Jesus: “como faremos para herdar a vida zoe/eterna, o mesmo tipo de vida que Deus tem?”

E o Cristo deu a fórmula na resposta:

“- Ame a Deus, sobre todas as coisas. - Ame o próximo DA MESMA FORMA que você AMA A SI MESMO!”

Esta resposta nos remete ao início!

Como vamos amar a Deus que é O AMOR, sem buscar o amor nEle mesmo?


Então, a solução é: temos de “beber da Fonte”! - Voltar ao Pai… receber e SER o amor, que Ele é. - Nos amar a nós mesmos… e aí, amar o outro!

O círculo é perfeito e completo… Deus, Eu e o Outro!


O verso diz: “Desperta, óh tu que dormes”.

A chamada é para nos despertarmos rapidamente deste lugar de trevas, de escuridão em que estamos a dormir e a sonhar iludidamente que tudo se passa “lá fora”.

O passo a passo para acordarmos, se desenrola dentro de cada um de nós:


1º - Temos de voltar à nossa Identidade Primária. Voltar a Ser Um EU SOU com o Eu Sou, com o Amor, com a Fonte, com Deus… 2º - É preciso passar a SENTIR “dentro de nós mesmos” as alegrias deste SER Amor. 3º - Passar a realizar as Obras do amor. Saber-se digno e capaz de FAZER o que O Amor faz. 4º - Deixar este amor transbordar para muito além de mim ou de você… O Amor AMA, a tudo e a todos. 5º - Expressar a Divina Verdade do Amor ao mundo. COMUNICAR/FALAR que O Amor é quem salva... Quem preenche o vazio existencial, quem religa e reconecta. 6º Ter, agora, o discernimento de tudo, com os olhos do Amor, com os olhos de Deus! VER “além” do que os olhos físicos estão a ver… e com isto… 7º - Compreender a humanidade, compreender o outro. SABER, sem precisar de provas! Quem compreende, reina! 8º - É aqui, que podemos TRANSCENDER a nossa humanidade, e também abraçar a realidade “básica”, na qual começamos lá no ponto1: - SER, NO EU SOU! É isto que nos eleva à “Posição Crística”.

"Eu Sou a Luz do Mundo… mas, vós também sois a Luz do Mundo”.

Quando este transcender da caminhada do Amor nos “equilibra” na Árvore da Vida, então, nós nos tornamos LUZ, nós passamos a “iluminar” o mundo.

Nós nos tornamos “um Cristo/Ungido”Enviado de Deus” na terra, AGORA! E “em Cristo, com o Cristo, no Cristo”, que podemos ajudar o mundo a fazer a jornada “de volta ao Pai”.


Para quem, é a jornada “de volta ao Pai”?

Para mim, para você, para todo SER Espírito que está a vivenciar a vida humana… nascido de mulher e que já pisou a terra.

Porque… o Nascimento Físico, é a QUEDA… nascer cá, é separar-se da Fonte, do amor… o nascimento físico é vir “vivenciar um mundo hostil ao amor – o mundo do Ego. Não viemos à terra para evoluir ou crescer… Deus não faz nada incompleto, ou imperfeito… ele não tinha a intenção de completar o homem só quando… Não.

Nós já chegamos cá, tendo tudo que precisamos para SER o que viemos SER.


NÓS APENAS NOS ESQUECEMOS “QUEM SOMOS”.

Esquecemos de onde viemos! Esquecemos para onde vamos!

Nossa missão, é descobrir isto! E enquanto fazemos a jornada “de volta ao Pai”, devemos: em amor e no amor, ajudar aos nossos semelhantes a também para lá voltar.


Se você quiser… pode vir comigo! Eu estou no negócio de levantar um exército de soldados que marcham nesta caminhada… não é uma guerra, é uma reconquista! Nosso Movimento, arregimenta outros que também queiram engrossar esta fila de “Filhos de Deus… de volta ao Pai”.


O PAI, É A NOSSA CASA!

(Não existe uma “Casa do Pai” como se ele estivesse separado de nós… e vamos para lá, e continuamos no mesmo lugar, mas separados dele). - Não. Deus é a Casa! Estar nEle, é estar EM Casa! É não existir mais consciência de separação, mas sim, de unidade. Como Cristo dizia: “Eu no Pai. O Pai em mim. Eu e O Pai, SOMOS UM”.

“E naquele dia conheceres que Eu estou EM meu Pai, e vós estais EM mim, e Eu estou EM vós” Jo:14:20


Vem comigo… vamos conhecer ESTA Verdade! Vamos “de volta ao Pai”.

Por: Lau Kadosh Coach e Mentora Espiritual – Restaurando Pessoas, Refazendo Vidas