EU SOU O EU SOU QUE EU SOU



A LEI DO SER


Deus é o Princípio Eterno do SER, Ele é O Eu Sou.


O Verbo do qual se fala em todo tempo, é o SER. O EU SOU é DEUS, e o EU SOU estava em Deus. Nele se inicia e nele, no Eu Sou, termina todas as coisas. Porém, O Eu Sou, é, antes do princípio, e depois que todas as coisas nas quais Ele se “personalizou” ou “coisificou” acabarem, Ele ainda continua sendo o EU SOU.


Eu Sou O mesmo, ontem, hoje e eternamente!


Deus mesmo, nos ensina através de seus relatos na Bíblia, como é que nós devemos SER na terra, para fazer estabelecer os Seus princípios, e operar as leis do Universo, em nosso favor, assim como Ele as operou e opera em seu próprio favor.


O Eu Sou, vive dentro de cada “coisa”, de cada concepção criada pelo Eu Sou. E sem o Eu Sou, nada do que foi feito, se fez. Ou seja: sem que haja uma concepção no “nada invisível”,(o universo das possibilidades) nada poderá ser criado, na terra.


Primeiro é a impressão, depois é a expressão.


SER é O Princípio Eterno, que carrega dentro de si a potencialidade para se materializar em todas e em qualquer coisa. E como está escrito, “no EU SOU eu vivo; no EU SOU eu me movo, no EU SOU eu existo… no dia em que eu deixar de ser, eu não serei mais!

Nada físico, consegue existir na inexistência. Ainda que continue a existir na incondicionalidade física do SER. O SER é a eternidade!


EU Sou é a Lei da Existência! Tudo existe a partir dela!


Para ficar claro, vou exemplificar… normalmente eu o faço com o que tenho à vista!

Eu Sou Lau Kadosh, mas se vejo um lápis à minha frente e eu lhe perguntasse por sua identidade, quem ele é, e ele pudesse falar, ele me responderia: “-Eu sou um lápis”, e a caneta; eu sou caneta, ao livro, eu sou livro, e ao computador, eu sou computador, e à lua, eu sou lua, ao carro, eu sou carro… e por aí vai.

A partir disto entendemos que tudo É, e é a partir do Lei do Ser, da Existência, é que tudo subsiste.


É por isto que Deus disse: Eu Sou, é a Lei da Existência, e além de mim, não há outra Lei.


Eu Sou o Que Eu Sou.


E porque, Lau Kadosh, é tão importante saber isto?

É porque, o lugar, onde “o sistema” nos atacou e ataca desde “o Éden”, é na nossa Identidade.

A pergunta que não quer calar é: Quem Eu Sou!


E, se alguém não sabe responder a esta pergunta, então, ele “não existe”, ele está a passar pela vida, mas, não a vivê-la, pelo menos não em plenitude. É por isto mesmo também, que Jesus, assim que recebeu e aceitou sua Identidade EM CRISTO, passou a dizer de si mesmo, o seu EU SOU.


Vemos por muitas e muitas vezes, nos 4 Evangelhos ele se definir: Eu Sou a Luz do Mundo, Eu Sou o Caminho, Eu Sou a Ressurreição, Eu Sou o bom pastor, Eu Sou um com o Pai, Eu Sou a Paz, Eu Sou a Vida, Eu Sou, Eu Sou, Eu Sou... E, vemos também que, Jesus, nunca trouxe esta identificação PARA SI, somente!


Ele veio nos dar Identidade, no EU SOU.


Aquela mesma, que o homem havia perdido no Éden. Ele veio restaurar a Identidade do homem, através do Cristo. E é por isto que Ele, nos identificava a nós, com a mesma Identidade que Ele tinha: “Vocês são a Luz do Mundo”; se vocês se tornarem Filhos do meu Pai, então, vocês serão um comigo. Eu no Pai, vocês em mim…


Parece complicado, mas não é! A única coisa necessária para entender é, CRER. Porque escrito está: “mas, a todos quantos O RECEBERAM (receberam a Filiação ao Eu Sou-Deus”, receberam “O Cristo” enviado em Jesus), deu-lhes O Poder de se tornarem Filhos de Deus”.


E é a Filiação quem nos Identifica com o Pai. Pois, a partir dela, você e eu podemos dizer: “EU SOU Filho de Deus”.